Palavras do Mundo - Lenda da galanteria de D. Rodrigo (Algarve)


 Lenda da Galanteria de D. Rodrigo 

Esta lenda nasceu em Loulé, no Cabeço do Mestre. Estava-se no reinado de D. Afonso III, o Conquistador. D. Paio Peres Correia queria conquistar o Algarve, dispunha de muitos cavaleiros a seu mando e, de entre eles, surgia D. Rodrigo de Mascarenhas, famoso por ser galante com as damas. 
     As tropas cristãs tinham chegado às portas de Loulé. Os cavaleiros cristãos tinham entrado na fortaleza e fizeram prisioneiros. Entre estes, estava um jovem ricamente vestido, mas triste.
      - Porque estais triste? Na guerra ou se vence ou se é vencido- disse D. Rodrigo.
     O rapaz contou que se chamava Abindarráez e que era da linhagem dos bencerragens (pertenciam à poderosa tribo do Califa de Granada).
    Quando eu era pequeno, fui criado juntamente com a filha do alcaide de Cártama (antiga vila do califado de Córdova que hoje faz parte da província de Málaga em Espanha); lá eu brincava com Jarrefa. Ela cresceu, tornou-se uma bela mulher, quando esposa de um cativo, ele iria sozinho. A rapariga acedeu. Voltaram ambos; chegados a campo cristão, foram bem recebidos. A beleza da jovem e o porte do rapaz encantaram todos. Mais tarde, o rei cristão concedeu-lhes perdão e o pai da rapariga também. Jarrefa, emocionada, pegou na mão de D. Rodrigo e perguntou como podia agradecer. Respondeu D. Rodrigo:
      - Sorrindo, bela dama. O vosso sorriso é o mais belo do mundo. E assim, D. Rodrigo deixou-os partir.
     Semanas mais tarde, o rapaz enviou emissários com dois bonitos cavalos brancos e uma grande quantia em dinheiro. D. Rodrigo recusou dizendo que a sua função não era roubar damas, mas servi-las e honrá-las. Apenas enviava as suas homenagens à mais bela dama e ao jovem de sangue nobre.


Sem comentários: